Complexo Eólico de Osório, um projeto pioneiro e singular

Desde 1999 o grupo espanhol Elecnor atua no Brasil onde passou a realizar investimentos importantes na geração de energia eólica nesta última década. Em 2005 foi instalada em Porto Alegre a filial brasileira da Enerfin, braço eólico do grupo Elecnor que atua no do segmento de energia limpa sob a marca Elecnor Renováveis. No mesmo ano, foi constituída a empresa Ventos do Sul Energia, sociedade de propósito específico para a implantação da primeira etapa deste grande projeto eólico.

Para construção dos parques, foi desenvolvida uma operação logística complexa e diferenciada, além de executado um grandioso trabalho de infraestrutura, que exigiu a construção de 24 quilômetros de estrada no interior dos parques. Cerca de 430 metros cúbicos de concreto e 60 toneladas de aço foram usados em cada uma das 75 bases instaladas a 35 metros de profundidade para poderem sustentar os 25 segmentos de concreto que constituem cada torre. Além disso, foram utilizadas cinco equipes de guindastes móveis capazes de levantar até 750 toneladas a uma altura de mais de 100 metros.

Pelo seu bom potencial eólico associado às boas condições de infraestrutura e conexão à rede elétrica, foi escolhido o município de Osório para implantação deste projeto, que, imediatamente, passou a ser identificado como Parques Eólicos de Osório. A partir daí, observou-se uma trajetória crescente de identificação da comunidade local com o tema eólico que, entre diversas manifestações de apreço, pode ser simbolizada atualmente pelo slogan adotado popularmente pelos moradores do município: “Osório, Terra dos Bons Ventos”.

Em janeiro de 2007, cumprindo rigorosamente com os compromissos contratuais firmados com a Eletrobrás no âmbito do Programa de Incentivos às Fontes Alternativas – PROINFA, a Ventos do Sul Energia iniciou a operação comercial do empreendimento. Pela sua magnitude, já com seus 150 MW de potência instalada, naquela época foi reconhecido como o maior complexo eólico do hemisfério sul em atividade. Além disso, o empreendimento também se destacou por ser o primeiro do gênero na América Latina a utilizar turbinas eólicas de grande potência unitária (2 MW) e avançada tecnologia.

Aproveitando os leilões de energia promovidos pelo Governo Federal em 2009, 2010 e 2011, a empresa comercializou energia e viabilizou a ampliação do seu empreendimento. Atualmente, a potência instalada alcança 375 MW em operação no Rio Grande do Sul somando os parques eólicos que já estão em funcionamento em Osório e no município vizinho de Palmares do Sul, todos controlados desde o Centro Integrado de Operações e Controle de Osório que atua de forma ininterrupta (24 horas).